Archive for month: Maio 2024

ENCERRAMENTO DA 2ª EDIÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE PRAGAS URBANAS

ENCERRAMENTO DA 2ª EDIÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE PRAGAS URBANAS
Terminou na passada 6ª feira mais uma edição da Pós-Graduação em Gestão de Pragas Urbanas onde a Groquifar teve o privilégio de ser parceira da FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA – ULISBOA (FMV) da Universidade de Lisboa, à semelhança da DGADR.
Na sessão de encerramento, participaram o Professor Virgílio de Almeida (Vice-presidente da FMV), o Professor Luís Manuel Madeira de Carvalho (Presidente do Conselho Pedagógico da FMV) e a Professora Maria João Fraqueza (Coordenadora da Pós-Graduação) que foram unanimes a salientar o empenho e dedicação deste grupo de formandos bem como o apoio das entidades parceiras (Groquifar e DGADR).
Manuela Cordeiro (da Groquifar) felicitou os finalistas e enalteceu a FMV, e em particular a Professora Maria João Fraqueza pela resiliência demonstrada, por continuar a fazer história ao ministrar a única formação certificada pelo Governo português, e assim alicerçar a profissionalização da atividade de gestão de Pragas Urbanas, crucial na salvaguarda da saúde pública e na proteção de pessoas, bens e ambiente. Esta
ação além de formadores da esfera empresarial contou com docentes de várias universidades entre as quais a FMV, o Instituto Superior de Agronomia, o ISEG – Lisbon School of Economics & Management e a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. A todos: OBRIGADA !

III Colóquio sobre o uso sustentável de pesticidas – Que futuro?

III Colóquio sobre o uso sustentável de pesticidas – Que futuro?
Está a decorrer hoje o ‘III Colóquio sobre o Uso Sustentável dos Pesticidas – Que futuro?” na Escola Superior Agrária de Santarém, e onde a Manuela Cordeiro participa em representação da Groquifar.
Num momento histórico após a retirada da proposta do uso sustentável dos pesticidas por parte da Comissão Europeia, marcada por manifestações de agricultores por toda a Europeia, o debate é de extrema importância para o setor agrícola e distribuição química.
A proposta incidia na diminuição para metade do uso daquelas substâncias e na proteção de zonas sensíveis como cursos de água, parques e caminhos públicos.
O colóquio com duas sessões conta com a representação da produção agrícola, universidades, laboratórios públicos e privados, Ministério da Agricultura, deputados e eurodeputados.
O objetivo do colóquio, organizado pela Associação Portuguesa de Horticultura, o COTHN-CC e a ESAS é debater a proteção de culturas e os principais desafios fitossanitários que os agricultores enfrentam num cenário marcado pelas alterações climáticas.

Sessão informativa acerca de resistência antimicrobiana da EMA e FVE

Sessão informativa acerca de resistência antimicrobiana da EMA e FVE
A Agência Europeia do Medicamento (EMA) e a Federação dos Veterinários da Europa (FVE) organizam, já no próximo dia 23 de maio, uma sessão informativa online com o objetivo de dar a conhecer as restrições à utilização de determinados agentes antimicrobianos em animais.
O surgimento e desenvolvimento da resistência antimicrobiana (RAM) é um dos aspetos a ser abordado nesta sessão, conjuntamente com as listas de agentes antimicrobianos para o tratamento de seres humanos e importantes do ponto de vista médico da OMS.
A participação é gratuita, porém deve fazer a sua inscrição, através do seguinte formulário.
Para saber mais sobre a sessão, consulte aqui.

One Health: um quadro de ação conjunto, publicado por cinco agências da UE

One Health: um quadro de ação conjunto, publicado por cinco agências da UE
No dia 7 de maio, o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), a Agência Europeia dos Produtos Químicos (ECHA), a Agência Europeia do Ambiente (AEA), a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) e a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) publicaram um documento conjunto para reforçar a cooperação e apoiar a implementação da agenda One Health na União Europeia (UE).
One Health reconhece a complexa interação entre a saúde humana, animal e vegetal, a segurança alimentar, a crise climática e a sustentabilidade ambiental. A implementação desta abordagem em diferentes setores será fundamental para tornar a UE e os seus Estados-Membros mais bem equipados para prevenir, prever, detetar e responder às ameaças para a saúde. Mitigará o impacto e o custo social de tais ameaças, ou mesmo impedirá a sua emergência, ajudando ao mesmo tempo a reduzir as pressões humanas sobre o ambiente e a salvaguardar as principais necessidades sociais, como a segurança alimentar e o acesso a ar e água limpos.
Saiba mais aqui.

Decreto-Lei n.º 29/2024 Execução, na ordem jurídica portuguesa, do Regulamento (UE) 2017/745, relativo aos dispositivos médicos

Decreto-Lei n.º 29/2024 Execução, na ordem jurídica portuguesa, do Regulamento (UE) 2017/745, relativo aos dispositivos médicos
Este diploma estabelece, entre outros, um conjunto de regras aplicáveis aos operadores económicos e às instituições de saúde que fabricam e utilizam dispositivos nas respetivas instalações, bem como, regras relativas à utilização e rastreabilidade dos dispositivos, à designação e supervisão das atividades dos organismos notificados e à vigilância e fiscalização do mercado.
O diploma define, ainda, as condições e requisitos a que deve obedecer o reprocessamento e a utilização de dispositivos de uso único reprocessados em território nacional, com o objetivo de estabelecer as necessárias condições de segurança e desempenho dos dispositivos.
O DL já se encontra em vigor e produz efeitos 90 dias após a sua publicação.
Para consultar o Decreto-Lei consulte: DL29_2024 Reg DM
Para aceder à Circular Informativa, consulte: CI_RegDM_050424

 

MSSG – Recomendações para robustecer as cadeias de abastecimento de medicamentos críticos

MSSG – Recomendações para robustecer as cadeias de abastecimento de medicamentos críticos
O Grupo Diretor Executivo sobre Ruturas e Segurança dos Medicamentos (GDRM) divulgou um conjunto de medidas que poderão ser adotadas, casuisticamente, para garantir a segurança do abastecimento dos medicamentos incluídos na lista europeia de medicamentos críticos.
Esta lista foi elaborada pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA), Comissão Europeia e Chefes de Agências de Medicamentos da União Europeia (UE) e contém medicamentos de uso humano, cujo abastecimento contínuo é uma prioridade, de forma a evitar o impacto nos doentes e minimizar o risco de disrupção nas cadeias de abastecimento.
Para os medicamentos incluídos nesta lista de medicamentos críticos da UE, o GDRM divulgou agora as medidas que poderão ser desencadeadas para minimizar as vulnerabilidades na cadeia de distribuição e reforçar a segurança do abastecimento destes medicamentos.
As medidas que podem ser adotadas encontram-se descritas em mssg-recommendations-strengthen-supply-chains-critical-medicinal-products_en

Como preparar a sua empresa para implementar o Regulamento de Embalagens e Resíduos de Embalagens? A Fecc explica.

Como preparar a sua empresa para implementar o Regulamento de Embalagens e Resíduos de Embalagens? A Fecc explica.
A Steptoe junta-se à Fecc e organizam, no próximo dia 21 de maio, um webinar sobre o tema onde os oradores irão abordar os novos aspetos do Regulamento de Embalagens e Resíduos de Embalagens da União Europeia.
A inscrição é gratuita para os associados da Groquifar, por isso apelamos à participação.
A inscrição deve ser feita a partir do seguinte link: https://register.gotowebinar.com/register/2577392033371150171